Qua, 27 Out
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cinema/Audiovisual MÁ SORTE NO SEXO OU PORNO ACIDENTAL De Radu Jude
LER MAIS
MÁ SORTE NO SEXO OU PORNO ACIDENTAL

Vencedor do Urso de Ouro no 71º Festival de Berlim, este filme do romeno Radu Jude (“Uppercase Print”) centra-se numa professora de história do secundário, Emi, que se vê a braços com o escândalo causado por uma “sextape” sua com o marido que vai parar à internet. Ela decide não ceder à pressão dos pais dos seus alunos para se demitir, e é esse o mote para esta sátira social rodada e passada em plena pandemia de covid-19.

Título original: Bad Luck Banging Or Loony Porn | De: Radu Jude

Cinema | Comédia Dramática | GB/LUX/Croácia/ROM/SUI, 2021, Cores, 106 min., M/18 | Preço 5€/2,5€ sócios Cineclube

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Qua, 27 out | 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Sáb, 30 Out
11:00

Teatro Sá da Bandeira


Teatro Histórias de Sonho Aqui Há Gato
LER MAIS
Histórias de Sonho

Histórias de Sonho / Aqui Há Gato

sábado, 30 outubro | 11h00 | Teatro Sá da Bandeira | Sessão de Histórias | M/3 | Duração 40 min (aprox.) | Preço 2€ (preço único)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten,FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão.

- Uma? Duas? Três histórias? - Queremos mais!!! - Muitas histórias iremos contar e os teus sonhos embalar! Histórias contadas com emoção. O Aqui Há Gato escolhe as melhores: as mais divertidas, as que fazem pensar, as que fazem sentir... as que fazem crescer lendo!

Sofia Vieira (atriz), nasceu em Santarém, em 1979. É licenciada em Psicologia Educacional pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada (lisboa) e formada em Educação pela Arte e em Arte Terapia. Desde 2007, é promotora do projeto “Aqui há Gato" (www.aquihagato.org), uma associação com um plano educativo e artístico dinamizado em jardins de infância, escolas, bibliotecas e teatros, com várias valências, entre as quais livraria infantil, companhia de teatro, e oficinas de arte para bebés e crianças até aos 12 anos. Salienta a importância do livro infantil recorrendo a técnicas dramáticas, permitindo às crianças entrarem no mundo mágico e deixarem-se estimular pelas personagens que habitam nos livros infantis. Desenvolve trabalho como atriz, cenógrafa, animadora, contadora de histórias. Como intérprete, já participou em várias produções, entre as quais "Princesa porque bocejas tu?", "Trono do Rei", "200 amigos (ou mais) para uma vaca", "Pássaro da Alma", "Nos mares do fim do mundo – de Bernardo Santareno, adaptação para crianças", "Ninhos, teatro para bebés, "Viagem ao Centro da Terra, Teatro de Luz Negra".

Ficha Técnica Interpretação - Sofia Vieira

Normas COVID-19 Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar o distanciamento social. Respeitar os circuitos de circulação.

Sáb, 30 Out
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Teatro “A MENINA DA RÁDIO”, PAULO PATRÍCIO ESPECTÁCULO SOLIDÁRIO
LER MAIS
“A MENINA DA RÁDIO”, PAULO PATRÍCIO

RECEITAS REVERTEM PARA AJUDA NA AQUISIÇÃO DE CADEIRA DE RODAS PARA O MENINO DAVID LUÍS, DE 9 ANOS DE IDADE, QUE SOFRE DE DISTROFIA MUSCULAR.

De seu nome nascida, Raquel Maria dos Prazeres, empregada profissional de limpezas ao domicílio e mais além (dizem…), desde “piquena” que anda sempre de antena no ar com o desejo de um dia ser locutora de rádio.

Uma noite, durante um dos seus muitos trabalhos de limpezas ao domicílio, e na verdade sem ainda hoje se conseguir perceber bem como isso aconteceu, Raquel dá por si em frente aos microfones da famosa "Rádio Clube da Estrela", conduzindo um programa de rádio, e realizando assim o seu grande sonho de ser locutora.

“Mulher de pelo na venta e muito desenrascada” (como convém a todo bom Português que se preze) mas na verdade sem ter o mínimo jeito para a locução, Raquel está em estúdio com a mesma graciosidade que um elefante está numa loja de cristais, e de improviso em improviso, lá vai ela desesperadamente tentar fazer tudo para que este seu sonho não se transforme rapidamente num pesadelo, e sim que seja uma emissão “certinha e limpinha”, como tanto gosta de dizer.

Certinho e limpinho, vai ser o constante bom humor em palco e as muitas gargalhadas do público durante este divertido e alucinante “programa de rádio”, que tem um final absolutamente surpreendente e apaixonante.

Porque rir com (esta) frequência faz bem à sua saúde, "A Menina da Rádio" é uma comédia que ninguém pode perder!

Teatro | M/12 | 60’ | 5€ (BREVEMENTE À VENDA)

30 out às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar o distanciamento social. Respeitar os circuitos de circulação
Qua, 03 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cinema/Audiovisual A Ilha de Bergman De Mia Hansen-Løve
LER MAIS
A Ilha de Bergman

Um casal de cineastas (ele, Tony/Tim Roth, mais velho, com uma obra consolidada, ela, Chris/Vicky Krieps, mais nova, à procura, com as suas dúvidas), ambos admiradores confessos de Bergman, instala-se na ilha de Fårö, onde o cineasta sueco viveu e rodou vários dos seus filmes. Decidiram passar ali o Verão, deixar-se inspirar pela força do lugar, e trabalhar nos seus novos guiões. No entanto, à medida que avançam, e em contacto com a paisagem selvagem da ilha, banhada pela luz do Verão escandinavo, a linha entre a ficção e a realidade torna-se ténue. Mise en abîme solar e melancólico, Bergman Island rende homenagem a Ingmar Bergman longe de qualquer cliché.

Título Original: Bergman Island | De: Mia Hansen-Løve | Com: Tim Roth, Mia Wasikowska, Vicky Krieps

Cinema | Drama | M/12 | ALE/BEL/FRA/SUE/MEX, 2021, Cores, 112 min.| Preço 5€/2,5€ sócios Cineclube

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Qua, dia 3 de nov | 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Dom, 07 Nov
21:30

CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas


Música Gilberto Gil com a participação especial de Adriana Calcanhotto
LER MAIS
Gilberto Gil

Gilberto Gil está de volta aos palcos neste Outono para uma digressão europeia com passagem assegurada por Portugal.

O concerto conta com a participação especial de Adriana Calcanhotto, que sobe ao palco para interpretar alguns temas com Gil. O público português vai testemunhar momentos inéditos de comunhão artística entre duas figuras incontornáveis da Música Popular Brasileira.

O concerto criado de raiz, a partir do refinado repertório de Gilberto Gil, conta ainda com a presença em palco do seu filho Bem Gil, na guitarra, baixo e voz, o neto João também na guitarra e baixo e Marcelo Costa na bateria e percussão.

O espetáculo é descrito como “uma jornada íntima onde lamento é sertanejo, a saudade é da Bahia, o tempo é rei”.

Ficha Técnica

Gilberto Gil | Adriana Calcanhotto | Bem Gil (Músico) | João Gil (Músico) | Marcelo Costa (Músico) | Gustavo Mendes (Som frente) | João Ribeiro (Som palco) | Thiago Braga (Backline) | José Álvaro Correia (Desenho e Operação de Luz) | Jerry Marques e Maria Gil (Produção) | Audiomatrix (Equipamento Som e Luz) | Roadies DC (Equipamento backline) | VIT (Transportes) | Im.par / Lazarus Agency (Produção) | Fotografia hallit

Música |Classificação Etária M/6 | Duração 01h30 (aprox.) | Setor 1, 2, 3 - 40€ | Setor 4, 5, 6, 7 - 35€

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Dom, 7 nov às 21h30

CNEMA – Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação | Obrigatoriedade de apresentação do certificado digital covid ou teste negativo de acordo com a legislação em vigor
Qua, 10 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cinema/Audiovisual TRÊS PISOS De Nanni Moretti
LER MAIS
TRÊS PISOS

Baseado no romance homónimo de Eshkol Nevo, Tre Piani passa-se num prédio romano de três andares em Roma. O destino de algumas famílias burguesas é posto em causa quando o filho do casal de juízes do terceiro andar atropela à frente da fachada uma mulher. Ao mesmo tempo, a vizinha do segundo andar parte sozinha para o hospital para dar à luz, enquanto que no piso de baixo um casal com a sua pequena filha começa uma crise conjugal.

As misérias humanas condensadas num microcosmos de Roma e com camadas de melodrama sempre sofisticado. Fala-nos de pais e filhos e da maneira como podemos ou não estar abertos para o próximo.

Título original: Tre Piani | De Nanni Moretti | Com: Margherita Buy, Nanni Moretti, Alessandro Sperduti, Riccardo Scamarcio, Elena Lietti | Drama | M/12 | IT, 2021, Cores, 120 min. | Preço 5€/2,5€ sócios Cineclube

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Qua, 10 nov | 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Sáb, 13 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Música A Vida, a Alma e a Viagem Projeto musical
LER MAIS
A Vida, a Alma e a Viagem

O projeto musical “A Vida, a Alma e a Viagem”, resulta de uma parceria entre Ricardo Gama (Guitarra Portuguesa) e João Correia (Guitarra Clássica). Este é um trabalho que, indo beber inspiração aos sons tradicionalmente portugueses e prestando homenagem às raízes do nosso Património Cultural, não se deixa, no entanto, de reinventar e faz por manter atual e relevante um género que faz parte da nossa identidade nacional.

Neste concerto, em particular, os dois músicos vão ser acompanhados por um quarteto de cordas.

Biografias

Ricardo Gama fez os seus estudos musicais no Conservatório Nacional de Lisboa, onde terminou o curso de Guitarra Portuguesa, sob a orientação do Professor João Torre do Valle, com notável aproveitamento. No fim do curso foi convidado a dar aulas no Conservatório de Música de Santarém, lugar que ainda hoje ocupa. Durante 10 anos apresentou-se em palco, nos espetáculos “A Guitarra Portuguesa Encontra o Jazz” e “O Passado e o Presente da Guitarra Portuguesa”, na companhia do Mestre Fernando Alvim, que, por mais de vinte anos, fez parceria com o Mestre da Guitarra Portuguesa, Carlos Paredes. Foi na sua capacidade de professor nesta escola que conheceu João Correia, que aí tirava o curso de Viola Dedilhada.

Enquanto aluno do Conservatório, João Correia recebeu vários Prémios e Menções Honrosas na vertente de Viola Dedilhada, tendo participado em vários Concursos Internacionais de Música e sendo selecionado, em 2009, para participar nos Dias da Música do CCB com a peça “Herança de Bach”. Em 2012 compõe a banda sonora de um anúncio televisivo da ONU, tendo este sido selecionado como anúncio oficial da luta contra a pobreza pela organização. Atualmente leciona aulas de Guitarra Clássica na Sociedade Filarmónica Alpiarcense, Círculo Cultural Scalabitano e no Conservatório de Música de Santarém. Também João Correia tem vivido a Música num esforço constante de homenagear o tradicional ainda que rompendo barreiras e fundindo-o com o moderno. Na área da música rock destaca-se a participação no grupo “Vira Casaca” onde assume o papel de vocalista, guitarrista e compositor.

A parceria de Ricardo Gama e João Correia começou em 2014 quando, integraram o espetáculo “TROVAS & CANÇÕES, Actores, Poetas e Cantores” onde faziam parte do ensemble que, em torno do ator Ruy de Carvalho, homenageava o teatro, a poesia e a música portuguesa (ambos como músicos e Ricardo Gama, também, como diretor musical). Com este projeto, com o qual se apresentaram em palcos nacionais e estrangeiros (mais de 70 espetáculos em Portugal continental, apresentações nos Açores e na Madeira e uma tournée internacional que os levou aos palcos de Espanha, Reino Unido e Cabo Verde), os artistas recordavam a tradição de cada arte numa fusão onde as três se complementavam.

Em 2015 fundam, o grupo Três Bairros, onde, prestam tributo e reinventam os géneros Fado e Fado-Canção mantendo, ainda assim, as características que fazem desta forma musical o espelho da Identidade Portuguesa.

No ano seguinte lançam o primeiro registo discográfico deste projeto a duas guitarras, “A Vida, a Alma e a Viagem”. Neste trabalho contaram com a colaboração de outros artistas, tendo a presença de um quarteto de cordas, acordeão e contando com a voz de Ruy de Carvalho.

Ficha Técnica

Ricardo Gama – Guitarra Portuguesa | João Correia – Guitarra Clássica | José Pereira – Violino | Marcos Lázaro – Violino | Sandra Raposo – Viola d’Arco | Ana Carolina Rodrigues – Violoncelo

Música | Classificação Etária M/6 | Duração 01h00 | Preço 5€ (preço único)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Sáb, 13 nov às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Qua, 17 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cinema/Audiovisual I AM GRETA De Nathan Grossman
LER MAIS
I AM GRETA

Nathan Grossman começou a filmar Greta no início da sua greve escolar em Agosto de 2018, antes ainda de serem feitas as primeiras reportagens sobre a jovem. Continuou a segui-la até Setembro de 2019, depois de ela atravessar num veleiro o Atlântico para discursar na cimeira do clima das Nações Unidas. Um discurso emotivo que inspirou e continua a inspirar milhares de jovens e adultos no mundo inteiro que a ela se juntaram em greves e discussões sobre o futuro do planeta. O filme explora também a luta pessoal de Greta para equilibrar a sua adolescência com a atenção e o mediatismo de que actualmente é alvo.

Título original: I Am Greta | De Nathan Grossman

Cinema | Documentário, Biografia | EUA/SUE/GB/ALE, 2020, Cores, 97 min. | M/6 | Preço 5€/2,5€ sócios Cineclube

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Qua, 17 nov | 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Sáb, 20 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Teatro Monólogo de uma mulher chamada Maria com a sua patroa Criação, texto e interpretação Sara Barros Leitão
LER MAIS
Monólogo de uma mulher chamada Maria com a sua patroa

Monólogo de uma mulher chamada Maria com a sua patroa é o título roubado clandestinamente a um texto do livro “Novas Cartas Portuguesas”, e que dá o mote para este espetáculo.

Partimos da criação do primeiro Sindicato do Serviço Doméstico em Portugal para contar a história, ainda pouco conhecida, pouco contada, pouco reconhecida, pouco valorizada, do trabalho das mulheres, do seu poder de organização, reivindicação e mudança.

É a história das mulheres que limpam o mundo, das mulheres que cuidam do mundo, das mulheres que produzem, educam e preparam a força de trabalho.

Esta é a história do trabalho invisível que põe o mundo a mexer.

Biografias

Biografia da companhia: Cassandra é uma estrutura de criação artística fundada em 2020. É também o nome da mulher que Apolo amaldiçoou por ter recusado a sua sedução, tornando-a capaz de prever o futuro sem que ninguém acredite nela. Resgatada do mito clássico, depois de ver Tróia incendiada, e ver cumprido tudo o que predestinou, chega-nos agora em forma de encorajamento à criação, mesmo sabendo da dificuldade que terá em ser ouvida. Uma característica não muito diferente da de todas as mulheres.

Para 2021, profetizou três projetos: um clube do livro feminista - porque os livros salvam vidas e o feminismo salva o mundo; um espetáculo - porque quer trazer para a luz o trabalho doméstico, estruturalmente invisibilizado; e um podcast - que acompanhará um processo de trabalho dessa nova criação, porque toda a gente sabe que os espetáculos nunca são tudo o que os ensaios prometem.

Ainda que, por uma vez, queiramos acreditar no que Cassandra anuncia, sabemos que depois de 2020, tudo pode não acontecer.

Biografia da criadora: Sara Barros Leitão, Porto, 1990. Formou-se em Interpretação pela Academia Contemporânea do Espetáculo e iniciou a licenciatura de Estudos Clássicos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e iniciou o Mestrado Estudos sobre as Mulheres - Género, Cidadania e Desenvolvimento, na Universidade Aberta. Não concluiu nenhum.

Trabalha regularmente em televisão, cinema e teatro. Presentemente, trabalha como actriz, criadora, encenadora, assistente de encenação e dramaturga. Nos últimos anos destacam-se as encenações dos concertos Trilogia das Barcas (2018), de Gil Vicente, e Rei Lear (2019) de William Shakespeare, coproduzidos pelo CCB e Toy Ensemble; bem como as criações Teoria das Três Idades (2018), coproduzida pelo Teatro Experimental do Porto e Teatro Municipal do Porto, a partir do estudo do arquivo do TEP, e Todos Os Dias Me Sujo De Coisas Eternas (2019), a partir de um trabalho de investigação sobre a toponímia portuense, apresentado no projeto Cultura em Expansão.

Em 2020, fundou a estrutura artística Cassandra, para desenvolver os seus projetos. Feminista, ativista por todas as desigualdades ou injustiças, incoerente e a tentar ser melhor, revolucionária quanto baste, artista difícil de domesticar. Usa o espaço de cena, o papel e a caneta como se fosse uma caixa de fósforos e um bidão de gasolina, ou um megafone para contar a história dos esquecidos.

Ficha Técnica

Criação, texto e interpretação Sara Barros Leitão | Assistência à criação Susana Madeira | Cenografia e figurino Nuno Carinhas | Desenho de luz Cárin Geada | Desenho de som José Prata | Montagem e operação som Maria Peres | Montagem e operação luz João Teixeira | Coordenação e acompanhamento da pesquisa Mafalda Araújo | Tradução e legendagem para inglês Amarante Abramovici | Direção de produção Susana Ferreira | Conceção de maquinaria António Quaresma | Execução costura Ponto sem nó | Companhia Casssandra | Projeto financiado por: República Portuguesa e Direção Geral das Artes

Teatro | Classificação Etária M/12 | Duração 01h30 (aprox.) | Preço 7,5€ (verificar descontos)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Sáb, 20 nov às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar o distanciamento social. Respeitar os circuitos de circulação
Qua, 24 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cinema/Audiovisual RAPARIGAS De Pilar Palomero
LER MAIS
RAPARIGAS

Espanha, Primavera de 1992. Celia (Andrea Fandos), estudante num colégio de freiras conhecido pelo seu rigor e conservadorismo, vive com a mãe, que faz o que pode para lhe dar a melhor educação. A adolescente, até aí tranquila, estudiosa e obediente, muda completamente quando conhece Brisa (Zoe Arnao), uma aluna vinda de Barcelona que ali chega cheia de confiança e de ideias diferentes. As duas tornam-se grandes amigas e entram juntas na complexa fase da adolescência, onde o mundo que até aí conheceram se transforma num lugar cheio de desafios.

Um drama sobre a adolescência realizado pela espanhola Pilar Palomero, na sua estreia em realização de longas-metragens. “Raparigas” recebeu nove nomeações para os Goya, arrecadando quatro: melhor filme, realização (Pilar Palomero), argumento original (Pilar Palomero) e fotografia (Daniela Cajías).

Título original: Las Niñas | De Pilar Palomero | Com: Andrea Fandos, Natalia de Molina, Zoe Arnao, Julia Sierra

Cinema | Drama | M/12 | ESP, 2020, Cores, 97 min. | Preço 5€/2,5€ sócios Cineclube

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Qua, 24 nov | 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Sex, 26 Nov
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Música Respeitosa Mente Ricardo Ribeiro
LER MAIS
Respeitosa Mente

Considerada uma das melhores vozes masculinas da sua geração no Fado, Ricardo Ribeiro é, no entanto, um artista multifacetado como o bem mostra o seu último trabalho “Respeitosa Mente”, editado a 26 de Abril de 2019 e cujas apresentações na Casa da Música, Porto, a 22 de Maio e no CCB, Lisboa, a 1 de Junho do mesmo ano, levaram o público ao rubro!

Este projeto uniu três amigos músicos, artistas de topo, como o pianista português de jazz João Paulo Esteves da Silva e o percussionista norte-americano Jarrod Cagwin, e o próprio Ricardo Ribeiro, que musicaram poesia variada de enorme qualidade.

Além da voz arrebatadora de Ricardo Ribeiro e a mestria e inspiração de João Paulo Esteves da Silva, também o público se rendeu à criatividade e ao génio da percussão de Jarrod Cagwin. Quer em disco quer em concertos, são grandes os elogios à obra.

Ricardo Ribeiro tem apresentado este projeto por Portugal e levou-o à Alemanha, onde esgotou a sala.

Em 2020, Respeitosa Mente é galardoado com o prémio “Melhor Trabalho de Música Popular” pela Sociedade Portuguesa de Autores.

E não é para menos, este trabalho traz-nos novas sonoridades e novos caminhos na música. Maravilhoso!

Ficha Técnica

Voz e Guitarra – Ricardo Ribeiro | Piano – João Paulo Esteves da Silva | Som – Rui Guerreiro | Iluminação – Leston Design | Roadie – Pedro Calado | Produção – Espelho de Cultura, Produções Artísticas, Lda

Música | Classificação Etária M/6 | Duração 01h30 (aprox.) | Preço 10€ (verificar descontos)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Sex, 26 nov às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar o distanciamento social. Respeitar os circuitos de circulação
Sáb, 04 Dez
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Dança Impulso, Quorum Ballet Direcção Artística e Coreografia Daniel Cardoso
LER MAIS
Impulso, Quorum Ballet

Impulso - o início de uma nova fase. O regresso, o restabelecimento, o recomeço. Focar o corpo, o movimento puro. A dança sem qualquer pretensão de levar o público num caminho específico, incentivando-o à reflexão subjetiva. Um caminho indefinido e livre num ambiente de fusão da arte com a vida, do bailarino com o indivíduo.

Através do corpo e do movimento consegue-se chegar onde as palavras não chegam. Expressam-se sentimentos, sensações e emoções de uma forma pouco objetiva que nos transporta para o mundo da imaginação, dos sonhos e do inatingível. Uma tela branca onde o subconsciente e a intuição lideram, esquecendo-se assim a razão ao caminhar livremente sem ambições estéticas.

Ficha Técnica

Direcção Artística e Coreografia: Daniel Cardoso Cenografia: Daniel Cardoso Bailarinos: Beatriz Graterol, Fernando Queiroz, Inês Godinho, Margarida Carvalho, Pedro Alves e Upock Qauqavan Música: Max Richer, Kiasmos, Christian Loffler, Ólafur Arnalds Figurinos: Maria Monte Desenho de Luz: Daniel Cardoso Equipa técnica: David Vaquinhas Produção: Raquel Vieira de Almeida Relações Públicas: Maria Dolores do Espírito Santo

Workshop para escolas de dança

Para mais informações: escala@cm-santarem.pt

ESCALA - Projeto Educativo, Mediação de Públicos e Envolvimento da Comunidade

Dança | Classificação Etária M/6 | Duração 01h00 (sem intervalo) | Preço 10€ (verificar descontos)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h - 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Sáb, 4 dez às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Ter, 07 Dez
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Música Vulture of Portugal Uma mistura fresca de grunge, rock e o peso doom
LER MAIS
Vulture of Portugal

Com uma mistura fresca de grunge, rock e o peso doom os Vulture of Portugal apresentam agora ao vivo "Now I Know", um conjunto de 5 singles conceptuais que antecedem o novo disco com edição prevista para 2022. Produzido e gravado maioritariamente em Santarém a capital da região Ribatejana, o que incentivou o grupo a respeitar as suas origens e a reconhece-las em cada passo deste trabalho que se deixou influenciar por detalhes geográficos e humanos exclusivos desta região do mundo.

Decidiram produzir e gravar tudo no sítio onde estão, para a banda não faz sentido entrar em estúdios desconhecidos e gravar músicas sobre um mundo diferente. Transportaram o estúdio até ao Ribatejo, procuraram casas antigas e quintas que pudessem utilizar e tentaram trabalhar sempre neste ambiente único.

Biografia

" - De forma livre e demorada desenvolvemos o nosso material em nossa casa, rodeados pelos campos da lezíria e sempre ao lado do Tejo, tentamos captar este ambiente desde 2008"

Os Vulture Of Portugal usam este projecto para abordar temas pessoais e sociais que levantam questões, que fazem pensar, mentiras desconfortáveis ou verdades inconvenientes.

Sempre cheio de contradições e sarcasmo, tornou-se num trabalho documental e autobiográfico que começou com a edição do primeiro disco em 2009, " Pick Up The Pieces " . Dá origem a mais de uma centena de concertos pelo país e centenas de milhares de visitas nas suas plataformas online

No Ep " Doomed to Fail ", o conceito da "Regionalidade" é reforçado, a banda desloca estúdios móveis até quintas abandonadas no coração do Ribatejo de forma a garantir um som único, e os videos são gravados em locais emblemáticos da cidade como a Escola Prática de Cavalaria, o Presídio Militar ou a Praça de Touros Celestino Graça. O reforço deste conceito dá aos Vulture of Portugal o reconhecimento da parte da plataforma online Myspace, que lhes dá o titulo de "Banda Revelação" e desperta o interesse de alguns promotores mais atentos que decidem convidar os Vulture Of Portugal para palcos diferentes do habitual, com novos públicos, em festivais de músicas do mundo e terminou com a " Tour to Fail " em Londres.

Em 2018 começa uma nova fase, na qual os VOP juntam forças com alguns dos grandes talentos do Ribatejo.

A inspiração para o primeiro videoclip desta nova fase surgiu ao ver uma obra de “guerrilha” de Pedro Camilo, onde o artista usou um edifício em ruínas que fica na linha de comboio que liga o Entroncamento a Lisboa. Artéria célebre que desenvolveu esta zona durante muitos anos, mas hoje se encontra envelhecida e cada vez mais em desuso. Um símbolo do que terá sido outrora a região do Ribatejo, com linhas de transporte, com muita afluência e visitantes! Mas hoje encontra-se em ruínas e esquecida.... A motivação para continuar a fazer videos nos sítios mais emblemáticos da região continuou e escolheram o Teatro Rosa Damasceno, Zona Ribeirinha das Caneiras e mais recentemente a Quinta da Santarena com a participação especial do bailarino e coreógrafo Nuno Labau.

Os artistas reciclam estes espaços e dão-lhes o que parece ser o seu último propósito. Uma sátira, uma afirmação, um último erguer do seu braço antes de serem engolidos pelo pó.

Seguindo esta linha incluíram também o actor mais irreverente e carismático, o escalabitano Pedro Gouveia para participar num dos videos e o Tatuador João Teigas para criar uma edição especial de merchandising, pintada à mão, peças únicas e todas diferentes.

"Isto é exatamente o que nós tentamos fazer há 12 anos! Manter vivas pequenas vozes que ainda resistem, para que pelo menos fiquem documentadas.

Deixamos muito para ser sentido ao vivo e a cores. não queremos fazer parte de uma corrida ao pódio, queremos só escrever a nossa obra... sem prémios e sem recompensas. Vamos contar a nossa história como ela é. Um manto lento e pesado que cai sobre a plateia, que a deixa num estado introspectivo e melancólico, a experiência Vulture of Portugal não será leve e de fácil digestão mas sim uma viagem aos seus assuntos mais importantes, aquilo que verdadeiramente conta. Para nós é mais importante o conteúdo do que a embalagem. É importante termos um propósito e um fim. Queremos ser verdadeiros, criar uma obra que passe para o ouvinte a mesma sensação que temos. Por mais feia e desconfortável que seja e mesmo que isso não nos traga benefícios imediatos, vamos ter sempre esse objetivo."

Ficha Técnica

Voz e Guitarra - Leonardo Meixieiro | Guitarra- João Casaca | Baixo - Manuel Belo | Bateria - João Madeira | Teclados -Afonso Carvalho | Tec. Som - Nuno Loureiro | Tec. Iluminação - Gonçalo Silva | Tec. Video - Pedro Correia | Merchandising - César Aguiar

Música | Classificação Etária M/8 | Duração 01h00 | Preço 5€ (preço único)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h – 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Ter, 7 dez às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação
Sáb, 11 Dez
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Música O Barbeiro de Sevilha de G.Rossini Direção Artística Élio Oliveira
LER MAIS
O Barbeiro de Sevilha de G.Rossini

A história é em Sevilha e a personagem central, o Figaro. Quem não cantarolou o Figaro cá, Figaro lá? Este barbeiro sabe todas as histórias da cidade e vai fazendo mexericos, só cria confusão. Quando aparece um jovem Conde, rico e quer namoriscar a pupila do velho médico, a Rosina, o Figaro encarrega-se logo de arranjar um plano para o Conde conseguir o seu objetivo. O Dr. Bartolo, o tutor, anda também apaixonado e quer casar com ela. Isto cria um empecilho ao Figaro e uma intriga muito cómica. Nada é simples nesta história pois há uma empregada, Berta, muito resmungona que se mete em tudo. Ah! e também um empregado que ajuda o Conde nesta sedução. Por cima há um prof. de música, Basilio, que vai fazendo coisas só de morrer a rir. Claro que a história tem um final feliz para o Conde que consegue casar com a Rosina para tristeza do Dr. Bartolo.

Ficha Técnica

Direção Artística Élio Oliveira | Encenação e Direção Musical Sílvia Mateus | Piano Francisco Sassetti | Interpretação Fernando Guimarães, Armando Possante, Carla Moniz, Tiago Amado Gomes, Miguel Maduro Dias, Simão Nobre, Ana Paula Dória

Música | Classificação Etária M/6 | Duração 02h30 com intervalo | Preço 10€ (verificar descontos)

Bilhetes à venda no TSB, na BOL, nas lojas Worten, FNAC e CTT

Horário de bilheteira física (Teatro Sá da Bandeira) de terça a sexta-feira 11h – 14h

A bilheteira abre 1 hora antes da sessão

Sáb, 11 dez às 21h30

Teatro Sá da Bandeira

Normas COVID-19

Uso obrigatório de máscara | Desinfeção das mãos à entrada | Respeitar o distanciamento social | Respeitar os circuitos de circulação