Dom, 19 maio
16:00
a Ter, 30 Jul 2024
17:30

Casa Pedro Álvares Cabral/Casa do Brasil


Exposição Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte Homenagem de Santarém ao pintor Silva Palmeira
LER MAIS
Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte
Exposição "Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte"

HOMENAGEM DE SANTARÉM AO PINTOR SILVA PALMEIRA

Santarém, Casa do Brasil (19 de maio a 30 de Julho)

Dia 19 de Maio (Domingo) - 16h00

— Homenagem Municipal ao escalabitano Silva Palmeira, no 90º Aniversário

— Lançamento de uma serigrafia no contexto da homenagem a Silva Palmeira. Centro Português de Serigrafia

— Inauguração da Exposição “Silva Palmeira, 90 anos de vida e arte” alusiva à sua obra

— Beberete

Biografia Silva Palmeira

1934 - Nasce em Santarém a 19 de Maio de 1934, Carlos Alberto da Silva. Fica órfão da mãe à nascença. Desde muito novo adota o nome artístico Silva Palmeira.

Trabalha em cerâmica artística como pintor na fábrica de louças domésticas, artísticas e regionais de António Inês Ferreira conhecida por «Maritália», na Senhora da Guia, Santarém, atividade que manteve de 1948 até 1954. Enquanto um dos vários trabalhadores desta fábrica de faianças, assina com as siglas CS [Carlos Silva] e SP [Silva Palmeira]. Dedica-se também à escultura.

1957-1958 - Expõe pela primeira vez em Goa, na 1ª Exposição de Artes Plásticas, de que foi organizador e curador.

Pinta o teto da Capela Militar de Ribandar, em Pangim, mas o trabalho ficou por acabar.

1962 - Exposição de Motivos Ribatejanos na Casa do Ribatejo, em Lisboa onde expõe trabalhos seus. Em Santarém, priva com os poetas Herberto Hélder e António José Forte, então responsáveis pela Biblioteca Móvel da FCG.

1963 - Primeira exposição individual (Abril), no Salão de Turismo, em Santarém. Neste ano organiza e participa a Exposição de Pintura de Artistas Ribatejanos, no Salão da Camionagem Ribatejana, acabado de construir. Entre os pintores desta mostra constavam A. Braz Ruivo, Cadima Tavares, Dionísio Anjos, Francisco Vilela e o jovem Vasco Andrade Rodrigues, que já apresentara trabalhos com ele em 1962. Em Santarém tem ateliê, na Travessa da Roda.

1966 - Visita o Louvre, o Museu de Arte Moderna e o Pavilhão dos Impressionistas do Jardin des Tuileries, para ver as retrospectivas de Picasso e de Edward Pignon (1905-1993), este último da Nova Escola de Paris. Conhece pessoalmente o pintor Pignon. Viagem Paris-Praga. Visita a Bélgica e a Espanha. Deixa vários trabalhos em coleções particulares.

1967 - Regressa de Paris. Fixa-se temporariamente na Nazaré, vila piscatória onde mantém ateliê, com Cadima Tavares. Descobre a relação entre as linhas curvas dos Delaunay e os barcos de pesca daquela vila piscatória. Expõe colectivamente em Monte-Real e na Comissão Municipal de Turismo da Nazaré, com Cadima Tavares.

Exposição de Pintura em Santarém, no Círculo Cultural Scalabitano – Silva Palmeira 67, cujo catálogo abriga um inédito do poeta surrealista António José Forte. Palmeira oferece-lhe o óleo Metamorfose. De 1964 a 1971, Silva Palmeiro vive o seu período experimental, sempre com inúmeras novidades estéticas e influências pictóricas, incluindo a pintura com colagens.

1970-1971 - Exposições colectivas em Oceanside, San-Diego na Califórnia e San-Angelo no Texas, organizadas pela Galeria Sesimbra de Lisboa. Exposições colectivas na Galeria Vilamoura e no Hotel Balaia em Albufeira (Algarve). Exposição na Galeria Portimão no Algarve. Exposição colectiva de Arte Portuguesa Contemporânea no The Barclay em Filadélfia (11 a 23 de Outubro), ao lado de Gomes Martins, Manuel Jorge e Querubim Lapa.
Sáb, 15 Jun
10:00

Sala de Leitura Bernardo Santareno


Workshop Roblox Studio Workshop (literacias digitais)
LER MAIS
Roblox Studio
Workshop (literacias digitais) “Roblox Studio”

Sáb, 15 Jun., 10h00 | Sala de Leitura Bernardo Santareno | Workshop

Para jovens a partir dos 14 anos

Inscrições: slbernardosantareno@cm-santarem.pt / tel. 243 304 649
Sáb, 15 Jun
16:00

Casa Pedro Álvares Cabral/Casa do Brasil


Conversas Homenagem de Santarém ao pintor Silva Palmeira Colóquio
LER MAIS
Homenagem de  Santarém ao pintor Silva Palmeira
HOMENAGEM DE SANTARÉM AO PINTOR SILVA PALMEIRA

Dia 15 de Junho (sábado) - 16h00 - Casa do Brasil

— Colóquio — Silva Palmeira e a pintura em Santarém e em Portugal — 1934-2024. Com a participação de Emília Pacheco, Jorge Custódio, João Prates, Júlio Pêgo e Luís Machado.

— Os poetas de Silva Palmeira. Recital de Poesia. Poemas ditos por Luís Machado

— Lançamento e apresentação do Livro da Obra do Pintor Silva Palmeira

Dom, 23 Jun
16:00

Teatro Sá da Bandeira


Teatro/Comédia Um Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas uma criação de Joana Craveiro | Teatro do Vestido
LER MAIS
Um Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas
Um Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas, uma criação de Joana Craveiro | Teatro do Vestido

uma referência do Teatro Contemporâneo Português

Teatro | Dom, 23 jun | 16h00 | Teatro Sá da Bandeira | Classificação Etária M/16 | Duração 6h aprox. (com refeição incluída) | Preço: 5€ (preço único)

Sinopse: Nesta digressão de 2024 de Um museu vivo, acompanhamos de perto as comemorações do 50º aniversário do 25 de Abril, tal como o fizemos há 10 anos atrás. Observamos, analisamos, dissecamos, refletimos.

A memória não está fechada. A sua natureza é a de uma construção permanente. O significado de um dado acontecimento históricos torna-se, por isso, campo de batalha das subjetividades várias, ideologias e interpretações que se jogam nas diferentes tentativas de inscrever no espaço público uma versão ‘definitiva’ sobre um determinado acontecimento. 50 anos é uma fração de segundo na história do planeta e, na história de um país, é também um tempo reduzido. Mas permite-nos, a esta distância e com alguns dos agentes e sujeitos dessa história ainda vivos, perceber como foram vividos esses tempos que ainda hoje nos formam e condicionam no nosso presente e nos permitem construir futuros.

Este espetáculo é sobre isso.

Tal como a memória não é estática, também este trabalho vive desta relação próxima com a forma como a inscrição da História no espaço público, os usos públicos da memória e as políticas da memória vão evoluindo e nos vão fazendo evoluir na nossa apreensão e interpretação dos acontecimentos que o espetáculo aborda.

Este é um museu vivo e como entidade viva que é, abre-se a novos materiais, novas histórias e a novos olhares poéticos que nos permitam construir presentes e passados com base nos passados que aqui se contam.

Joana Craveiro

Ficha Técnica

Investigação, texto, direção e interpretação Joana Craveiro | Colaboração criativa e assistência Rosinda Costa (na versão de 2014-16) e Tânia Guerreiro | Figurinos Ainhoa Vidal | Desenho de luz e adaptação técnica João Cachulo | Montagens e operação de luz Cristóvão Cunha | Operação de som Igor de Brito | Operação de vídeo Henrique Antunes | Direção de produção Alaíde Costa | Apoio Estêvão Antunes | Apoio técnico FXRoadlights | Co-produção Teatro do Vestido, Negócio / ZDB, São Luíz Teatro Municipal | Apoios Citemor - Festival de Montemor-o- Velho, Alkantara, Abril é Agora

Um Museu Vivo de Memórias Pequenas e Esquecidas estreou-se em 2014, no contexto da Tese de Doutoramento de Joana Craveiro. A realização da tese contou com o apoio de República Portuguesa – Ciência e Tecnologia, Fundação para a Ciência e Tecnologia, QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional, UE – Fundo Social Europeu.

O Teatro do Vestido tem o apoio de República Portuguesa | DGARTES, para o biénio 2023-2024

A programação do Teatro Sá da Bandeira tem o apoio: República Portuguesa - Cultura I DGARTES – Direção-Geral das Artes e da Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses

Teatro Sá da Bandeira

Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00

Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes

Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados

Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC.

Contactos:

T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt
Qua, 26 Jun
21:30

Teatro Sá da Bandeira


Cineclube de Santarém BAAN – CASA Cinema | de Leonor Teles
LER MAIS
BAAN – CASA
Cinema | BAAN – CASA, de Leonor Teles Cinema | Qua, 26 jun | 21h30 | Teatro Sá da Bandeira Preço público geral » 5€ | sócios Cineclube » 2,5€ | bilhete jovem até 30 anos » 1€ | bilhete jovem até 30 anos sócio cineclube » entrada gratuita Sinopse: Passado, presente – e talvez futuro – entrelaçam-se num carrossel que acelera uma juventude em tumulto. A vida adulta, relacionamentos traumáticos e a carreira, são avassaladores, numa história que começa quando L conhece K. Título original: BAAN De: Leonor Teles Ficção, POR, 2023, 100 min., M/12 Teatro Sá da Bandeira Horário de Abertura ao público: 3ª a 6ª feira – 10:00 às 12:00 / 14:00 às 16:00 Nos espetáculos a realizar em horário de encerramento, a bilheteira abre 1 hora antes Encerrado ao Sábado, Domingo, Segunda-feira e Feriados Fora do horário de abertura ao público, a venda e reservas de bilhetes é possível através da plataforma online – BOL e nas lojas Worten, CTT e FNAC. Contactos: T. 243 309 460 | teatrosabandeira@cm-santarem.pt